domingo, 26 de janeiro de 2014

O QUE VOCÊ DEVERIA SABER SOBRE OS AGROTÓXICOS EM SEU ALIMENTO

         
   Não é novidade a ninguém que estamos diante de um problema de saúde pública quando falamos em agrotóxicos. O assunto já foi e voltou à mídia, já realizaram testes diversos com nossos vegetais e nada muda, nenhuma providência é tomada. Pimentão, morango, pepino, alface, cenoura, abacaxi, todos estes e mais uma lista de alimentos altamente contaminados são vendidos sem fiscalização e me parece que as pessoas não fazem idéia do quão grave é esta questão.
            Eis aqui um tema forte e que tem impacto em verdadeiramente todas as questões relacionadas à saúde. É impressionante como os médicos têm a capacidade de simplesmente fechar os olhos para a questão dos agrotóxicos no Brasil e não buscam ao menos se informarem a respeito disto, pois posso lhes afirmar que é um problema seríssimo.
            Como deixo sempre claro que tenho uma preocupação enorme com as gerações que estão por vir e com a saúde das crianças, tenho verdadeira inconformação com as pessoas que não se importam com suas saúdes e mais do que isso, com a saúde de seus entes queridos e das crianças.
            Infelizmente sei que falar sobre agrotóxicos é o mesmo que brigar contra os governantes hoje
no Brasil, até porque, como vocês poderão ver no video que disponibilizarei ao final do artigo, existe uma relação muito próxima entre os “assuntos”.
            Me entristeço muito em assistir ao aumento absurdo de incidência de todo tipo de doenças e saber que são devidas a um somatório de agressões que causamos diariamente aos nossos corpos. Mais ainda ao perceber que a única coisa que a medicina tradicional faz é pesquisar quais as drogas novas que surgiram no Mercado para tratar este ou aquele problema, sem avançar em absolutamente nada no estudo direto do entendimento do da doença e prevenção da mesma.
            A verdade é que hoje a medicina é baseada no diagnostico, ou seja, uma vez que se sabe o diagnostic de uma doença, aí sim o médico saberá qual medicação prescrever. Mas peraí, uma vez de posse do diagnostico, grande parte das doenças podem ter o seu tratamento conhecido em busca no dr. google ou simplesmente perguntando-se ao atendente no balcão da farmácia sobre o que usar, não é mesmo? Pois esta é uma triste verdade e que é fácil de enxergar, basta abrir os olhos… O difícil é reorientar todo o processo de formação do médico e desvincular o aprendizado aos laboratórios farmacêuticos.
            Mas falando sobre os agrotóxicos, a notícia boa é que atualmente os orgânicos, apesar de caros, já estão disponíveis em muitos locais e o controle sobre a veracidade da informação em ser ou não um produto orgânico está “um pouco” maior. Usei esta expressão, pois todos nós sabemos que tudo que depende de fiscalização no Brasil (a não ser sobre impostos dos contribuintes) funciona de forma BEM complicada (e isso vocês também conseguirão assistir no video).
            Amigos, os agrotóxicos contidos nos vegetais estão sim relacionados a todos os tipos de doenças, principalmente o câncer e doenças degenerativas. Além disto, é comum que sejam aplicados metais pesados sobre os agrotóxicos para a fixação dos produtos e para que protejam contra chuva por exemplo, piorando ainda mais a situação para o consumidor final e para o produtor rural.
            A intoxicação por metais pesados é uma realidade e sorrateiramente devasta o nosso organismo, sendo capaz de desequilibrar nosso sistema hormonal, baixar a imunidade, destruir células, enfim, agrotóxicos e metais pesados agem silenciosamente causando um estrago em nossos corpos. Não tenham dúvidas que estas subatâncias trazem todo tipo de problemas e pior, a desintoxicação é difícil e leva tempo.
            Vocês conhecem pessoas que estão sempre com alergias? E aquelas que estão sempre contraindo doenças? Ou as que nunca conseguem tratar seus problemas corretamente? Seriam diversos os exemplos que eu teria para dar a vocês, mas todo médico deveria desconfiar de intoxicação frente a pacientes que não conseguem obter melhora de situações como estas.
Quero que saibam que desde 2008 o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo!
            É assustador, mas estima-se que cada Brasileiro consuma cerca de 5 litros de agrotóxicos por ano! Agora vocês imaginem-se tomando algumas garrafas com estes venenos que foram feitos para matar animais e imaginem crianças ingerindo estas substâncias…
            A situação ainda é mais caótica em nosso país, porque muitos dos agrotóxicos que são usados em larga escala foram proibidos em diversos países, inclusive os subdesenvolvidos onde a corrupção também impera!
Não tenho dúvidas de que este é um dos principais motivos para o aumento exorbitante dos índices de câncer, problemas infantis, doenças degenerativas, problemas e déficits neurológicos e mentais, alterações hormonais, entre outras.
            Acho que é óbvio para todo mundo, que hoje não existe NINGUÉM que não tenha algum familiar com problemas de saúde. Será que isso é normal? Será que era pra ser assim ou era assim na época de nossos avós?
            Eu como médico SEI que o motivo não é só que estamos diagnosticando mais, tenham certeza disso. Os números aumentaram proporcionalmente demais e enquanto não levarmos a sério esta questão e não fizermos a nossa parte, absurdos como os que verão neste documentário forte continuarão acontecendo e seremos cúmplices prejudicando as nossas vidas e das crianças que hoje estão expostas a isto desde cedo.
            Bom, existe um médico japonês, chamado Dr. Omura, conhecido no mundo todo devido às suas práticas orientais e ao desenvolvimento de diversas técnicas e trabalhos dentro da medicina, entre elas um método chamado Bi-Dort (Bi Digital O Ring Test), que atende e vive em Nova Iorque atualmente e conseguiu provar cientificamente que há uma forma de comprar um produto inorgânico e através de um processo barato que pode ser feito em casa remover grande parte dos agrotóxico e metais pesados, transformando o vegetal em orgânico. O estudo publicado por ele é confiável e já pratico isto naqueles vegetais que não encontro como orgânicos. Infelizmente não tenho como descrever aqui à vocês devido a necessidade de se explicar como se realiza e do risco de alguém compreender erroneamente o método e ocorrerem problemas.
            Gostaria muito de poder compartilhar este conhecimento que busquei, mas tenho consciência da minha responsabilidade ao informar as pessoas e da influência que posso vir a ter se alguém errar na formula que, repito, é simples, mas não podem haver dúvidas. E já que devido à quantidade de pessoas que me acompanham, eu realmente não teria como responder às dúvidas de cada um que surgiriam com toda certeza. Para os que me conhecem pessoalmente ou aqueles que são meus pacientes, podem me perguntar que terei prazer em ensiná-los.
            Amigos, o único conelho que posso dar a vocês é que levem esta questão mais a sério, pois não é algo para se relevar, comprem na medida do possível produtos com sêlo orgânico, pelo menos para seus filhos.
            Assistam por favor e se conscientizem deste problema tão sério, mas não guarde a informação para si, repasse e inclua na sua rotina, pois pode fazer toda diferença em sua saúde, lhes afirmo por experiência própria:
            Vou disponibilizar também a lista divulgada em dezembro de 2011, o ranking do agrotóxico, apesar das considerações finais da anvisa serem sinceramente ridículas, pois não significam nem 1/10 das alterações que estas substâncias causam direta e indiretamente ao corpo humano:

http://drvictorsorrentino.com.br/o-que-voce-deveria-saber-sobre-os-agrotoxicos-em-seu-alimento/
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).