quarta-feira, 9 de abril de 2014

AÇÚCAR: docinho ou 'amargo' ?!


Que tal falarmos um pouquinho de um  'alimento' docinho, mas tão docinho, que se torna amargo e vicia?  O vilao do dia - o AÇÚCAR!
No dia 20/04, foi ao ar no Jornal Nacional, uma breve reportagem alertando sobre a quantidade de açúcar adicionada aos alimentos industrializados, e as últimas 'descobertas' - já sabidas - das alterações orgânicas após sua ingestão em grande quantidade - principalmente - como presenciamos atualmente.

E se você está pensando que o problema está apenas naquele açúcar branquinho que chega a doer a vista de tanto que brilha, e vai sair correndo para a próxima loja de produtos 'naturais' para comprar suas reservas de docinhos - 'naturais', mero engano. Pois como já explica Sônia Hirsh em seu livro 'Sem açúcar, Com afeto' - "não importa se é açúcar orgânico, mascavo ou mel (menos piores do que os refinados sem duvida, mas...) o problema é a super concentração de açúcar; que quando ingerida, vai depressa demais para a corrente sanguínea, queimando todas as etapas da digestão, fazendo subir o nível da glicose no sangue, aí o pâncreas é obrigado a produzir uma quantidade extra de insulina. A insulina vai lá e abaixa o nível, aí da vontade de comer mais açúcar. Sobe o nível e o pâncreas solta insulina, abaixa o nível… E assim por diante, até chegar uma hora que o pâncreas não entende mais nada."

E se acha que esta livre de problemas, pois optou por adoçantes artificiais, não se iluda - se informe!  Ate mesmo o Xarope de Agave, vendido em milhares de lojas de produtos 'naturais' nos Estados Unidos, e há pouco introduzido nas prateleiras de nossas lojas 'naturais', também ja foi desmascarado em estudos recentes realizados por médicos conceituados nos Estados Unidos (estarei postando em breve).

Ah, e não se esqueça - o AÇÚCAR - cristal, refinado, orgânico, liquido, confeiteiro, de beterraba, etc., ou xaropes simples, invertido, disso ou daquilo - sao adicionados também a pães (mesmos os salgados), a enlatados, molhos e assim por diante.  Logo, estão escondidos em 'alimentos' diversos (no mundo dos industrializados) - uma enxurrada de açúcar em 'nosso' organismo dia apos dia.

Para refletir:  Qualquer alimento - antes equilibrado - após passar pelas mãos do Homem, é melhor começar a desconfiar.  Pois pegamos esse alimento, e 'destruímos' todos seus benefícios - ou equilíbrio - uma vez existente, através do refinamento químico, ou processamento um tanto 'bombástico'.

Por isso, nos voltemos MAIS UMA VEZ para os produtos retirados diretamente da Mãe Terra e docinhos por si só - as frutas!!!   Mas calma, eu sei, gostamos de criar e misturar e enfeitar, e quem disse que isso não é possível??  Podemos fazer tudo isso sem utilização dos processados, refinados, super refinados e químicos.

E para finalizar esse tópico de hoje - Não deixe de ler o texto abaixo.

Um brinde a vida e Saude!

--
Por Sônia Hirsch - autora do livro 'Sem açúcar, Com afeto' entre outros.

O açúcar é uma coisa tão refinada que vai direto para o sangue e causa uma série de alterações físicas e mentais no consumidor. O açúcar dá uma certa bobeira mental, cientificamente explicada pelo encontro da insulina com um aminoácido chamado triptofano que é rapidamente convertido no cérebro em serotonina, um tranqüilizante natural. “Madame está nervosa? Dá água com açúcar pra ela que passa.” Ou não é?.

Na Índia, alguns séculos antes de Cristo, os médicos usavam o açúcar como remédio. Foi só ali perto do ano 600 que os Persas bolaram a rapadura, daí começou o tráfico. Na Europa não tinha açúcar, era importado e custava muito caro e só os nobres podiam comprar: “Nada de drogas para os pobres“. Em 1532 Martin Afonso de Souza instalou em São Vicente o primeiro engenho de açúcar no Brasil. Em 1665 a Inglaterra já importava 8 milhões de kilos por ano. Nesse mesmo ano a peste bubônica matou 30.000 pessoas em Londres, pessoas que tinham acesso ao açúcar, porque no campo, entre os pobres ninguém morreu. Será que ninguém desconfiou da relação da nova doença e o espantoso consumo de açúcar?. Já que o açúcar predispõe o corpo a infecções por causa da acidez exagerada que ele provoca. Desconfiaram, mas ficaram calados pois seria um crime de lesa-majestade insinuar que a Coroa enriquecia as custas de um vicio pernicioso. E ai ficou por isso mesmo e está assim até hoje. Por volta de 1600, as autoridade inglesas sabendo que o açúcar boa coisa não era, proibiram severamente o uso do açúcar para apressar a fermentação de cerveja, É CLARO, ELES A BEBIAM! EM 1792 os melhores cientistas da Europa fundaram uma sociedade anti-sacarina. Em 1912 o DR. Robert Boesler, dentista norte americano escrevia que “…a moderna fabricação do açúcar nos trouxe doenças inteiramente novas“. O açúcar comercial nada mais é do que um ácido cristalizado. No passado, com seu alto preço só uma minoria nobre podia utilizá-lo, contudo, agora o seu altíssimo consumo está causando a degeneração nos seres humanos e até em animais. Por exemplo: beija-flores que utilizam bebedouros de água com açúcar. Mas… e o açúcar mascavo orgânico, o mel, também fazem mal ???.

Um exemplo bem simples para podermos entender: Um certo dia, andando pela mata, uma pessoa descobriu a cana-de-açúcar “Nossa, que delícia !!!” e levou para sua casa. Bom… o individuo consegui chupar 3 paus de cana em meia hora e ficou com a boca cansada. Ele devia ter ingerido aproximadamente 350 ml de um líquido contendo: água, sacarose, sais minerais, vitaminas, fibras, etc… Beleza, ele conseguiu digerir numa boa. Seu pâncreas nem reclamou. E agora, todo mundo “chupa cana?” Passado algum tempo, eis que: ” Para o individuo, chupar cana não é mole não… não dá pra espremer o bagaço?” E deu… inventaram a garapa. QUE MARAVILHA!!! Opa!… espera aí,… mas já era tarde, o homem começou a tomar garapa que nem água – 500 ml a 1 litro em 10 minutos. Aí o Sr. Pâncreas começou a reclamar porque estava fazendo horas extras todos os dias e insulina no individuo!. Um certo dia, alguém resolveu ferver a garapa, e saiu o melado de cana, muito mais concentrado: 10 litros de garapa virou um copo de melado. “Que delicia!. Vamos fazer um bolo?… Que nada vai puro mesmo!” E aí o individuo virou o copo pra dentro. Imaginando a proporção: 10 litros de garapa dentro de um copo ingeridos em 10 minutos.

É gente… o pâncreas que se cuide!. Para agravar a situação, os Persas bolaram a rapadura, ainda mais concentrada, e logo após as benditas refinações. Aí “ferrou o jegue”!. Surge então uma doença nova e mortal: a DIABETES MELLITUS que fazia as pessoas eliminarem açúcar pela urina, ou seja, vazarem pelo ladrão. Inicia-se a era das novas doenças “a degeneração da raça humana” causada pelo mau uso do açúcar, que causa um STRESSabsurdo no organismo e o pâncreas para de produzir insulina. Não bastando ainda, causa defeitos genéticos. Por exemplo: hoje, a cada 5 crianças que nascem uma será diabética. Hoje existem 6,5 milhões de diabéticos no Brasil. Morrem 300.000 por ano nos EUA. Portanto não importa se é açúcar orgânico, mascavo ou mel o problema e a super concentração de açúcar; que quando ingerida, vai depressa demais para a corrente sanguínea, queimando todas as etapas da digestão, fazendo subir o nível da glicose no sangue, aí o pâncreas é obrigado a produzir uma quantidade extra de insulina. A insulina vai lá e abaixa o nível, aí da vontade de comer mais açúcar. Sobe o nível e o pâncreas solta insulina, abaixa o nível… E assim por diante, até chegar uma hora que o pâncreas não entende mais nada.

Você come um bombom seu pâncreas solta insulina para caixa inteira; é a HIPOGLICEMIA. Entre jovens e adultos, três a cada cinco tem a doença – estágio pré-diabético. SERÁ VOCÊ O PRÓXIMO ?. Como se não bastasse tanto malefício, a acidez causada pela ingestão concentrada de açúcar predispõe o corpo à infecções (como a conjuntivite) e também à vírus e bactérias.

Se você acha isso que leu agora uma questão de opinião, então continue como está! Ou então pare enquanto ainda é tempo, por amor à Si PRÓPRIO, à Deus e à Natureza! MAS NÃO PARE POR AQUI!

Informe-se, discuta, reflita, passe para frente, descubra soluções, alternativas, pesquise! Afinal fomos “viciados” a centenas de anos, por pessoas inocentes que só queriam dar um gostinho mais doce para aquela vida tão amarga e preconceituosa dos nossos antepassados, que no final, por ganância e falta de escrúpulos de uma minoria, nos foram omitida a verdade sobre tão doce e perigosa droga”.
--

E Sônia Hirsch 'completa' em uma entrevista ao Jornal Arauto da Serra .

O açúcar, comprovadamente, é o pior antinutriente que nós temos. Primeiro, ele é muito gostoso e é branco. E tudo que é branco tem cara de inocente. Só que de inocente ele não tem nada. Na verdade, o açúcar é o primeiro vício que a gente adquire, ainda na infância, na mamadeira. E você segue a sua vida consumindo direto porque ele esta embutido em muitas coisas, praticamente tudo tem açúcar. Ele é muito calórico, circula rapidamente pelo sangue dando uma falsa sensação de que alimentou. Só que destrói vitaminas e minerais sem dar nada em troca para o organismo, e ainda cria um ambiente propício para bactérias, fungos, protozoários, vermes... O açúcar é uma droga prazerosa que deveríamos usar com muita cautela, com muita moderação.

---
http://misturaviva.blogspot.com.br/2010/04/acucar-docinho-ou-amargo.html#.U0XzSle831U
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).