quarta-feira, 30 de abril de 2014

Tirióide....Geléia Real


A geléia real é uma substância cremosa, acentuadamente ácida, cheiro e sabor fortes, cor e consistência do ieite condensado, pro¬duzida, mediante secreção glandular, por abelhas operárias jovens, de poucos dias, e destinada exclusivamente à alimentação das larvas e da rainha. Todas as larvas são alimentadas com geléia real nos dois primeiros dias de vida; a rainha, porém, a come durante toda a vida. E aí está a razão da diferença entre as operárias (que pesam 125 mg, medem 12 mm de comprimento, e vivem no máximo 45 dias) e as rainhas (que pesam 200 mg, medem 17 mm de comprimen¬to, e vivem até 5 anos pondo 2000-3000 ovos por dia).
A história da geléia real tem seu começo no século XVIII, quando o naturalista François Huber notou que as celas ocupadas pelas larvas das futuras rainhas eram as únicas que recebiam um líquido especial, graças ao qual essas larvas se desenvolviam em rainhas.
Durante mais de dois séculos, ninguém se preocupou com a descoberta de Huber, até que o Dr. Alain Caillas, engenheiro agrônomo de Orleans, França, levantou a questão: Por que as ciências modernas não investigam o mistério da geléia real e dos benefícios que ela seria capaz de proporcionar ao homem? Finalmente, os pesquisadores, curiosos por saberem porque a rainha tem uma existência muito mais prolongada do que as operárias, tiveram sua atenção atraída para a geléia real, e concluíram que é justamente a este milagroso produto que se deve o referido fenómeno de longevidade.
Composição química

Em 100 gramas de geléia real encontram-se:
Agua 24,15 g
Hidratos de carbono 20,00 g
Proteínas 30,62 g
Gorduras 3,00 g
Extratos etéreos 15,22 g
Sais 2,34 g

Os mais importantes sais minerais contidos na geléia real são os de: fósforo (0,67 g), azoto (0,58 g), enxofre (0,38 g), cálcio, ferro, manganês, potássio, magnésio, etc.
A geléia real também encerra vitaminas: tiamina (Vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), ácido pantotênico (vitamina B3), niacina (vitamina BB ou PP), adermina ou piridoxina (vitamina B6), biotina, inositol, ácido fólico, ácido ascórbico (vitamina C).

Uso medicinal
Experiências primeiramente feitas com cães, gatos, ratos, cobaias, porcos, galináceos, e destinadas a determinar o índice de pro¬longamento da vida, colheram resultados surpreendentes. Surgiu, pois, a ideia de colocar a geléia real, como promovedor de longevi¬dade, ao serviço do homem.
Entre muitos médicos e nutricionistas predomina, pois, a convicção de que a geléia real de fato prolonga a vida do ser humano.
Num hospital de Paris foram aplicadas injeções de geléia real em alguns pacientes, na dose de um miligrama, e os médicos afirmam que houve melhoras instantâneas, sendo que os efeitos duraram doze dias. Segundo a informação divulgada, os cardíacos foram os mais beneficiados.
Segundo diversos pesquisadores, a geléia real combate as perturbações nervosas e as afecções vasculares, e, bem assim, a doença de Parkinson.
Experiências levadas a cabo nos Estados Unidos, na Alemanha, na Franca e na Itália, revelam que a geléia real tem inúmeros efeitos medicinais: Traz ótimos resultados no esgotamento nervoso, no cansaço mental, na insónia, na tensão nervosa, na melancolia, nas neuro-psicoses, nas obsessões (Drs. H. Destrem, L. Telatin, Chauvin); combate infecções que tenham resistido aos antibióticos (Dr. H. Dêstrem, P. Prosperi, F. Ragazzini, L. Francalancia); normaliza a pressão arterial, corrigindo tanto a hipertensão como a hipotensão (Drs. H. Destrem, G. Jacoli); cura a úlcera duodenal (Dr. G. Izar); é útil contra a icterícia, a anemia crónica e perniciosa, e a leucemia lin¬fática e mielóide (Drs. A. Gaggioli, G. Jacoli, P. Prosperi); normali¬za o funcionamento das glândulas supra-renais, da tireóide, do baço, do fígado, dos ovários, etc. (Drs. Ardry, Paggioli, jacoli); age bene-ficamente sobre a pele (Dr. Decourt); socorre as mulheres na meno¬pausa (Dr. H. Destrem); restaura o apetite de crianças, jovens e velhos (Drs. Decourt, Sarrouy, Alger, Prosperi, Leuteneger, Raffi); contribui para o fortalecimento e desenvolvimento normais de bebês prematuros, que tenham vindo ao mundo com debilidade congênita, afecções cardíacas e outras complicações (Drs. C. Malossi, Franca¬lancia, Ragazzini, Grandi, Prosperi); é útil também em muitos outros casos, como nas afecções das vias respiratórias (resfriados, tosse, bronquite), nas afecções cardíacas, nas perturbações do aparelho digestivo, no eczema.
Chaigneard, renomado apicultor da França, louva a geléia real dizendo:
"Faço uso da geléia real e dou-me extraordinariamente bem. Tudo aquilo que se perde com a idade — vivacidade corporal, liberdade de espírito, etc. — logo renasce. A gripe, por exemplo, não me incomoda mais. E até as hemorróidas, que me fizeram sofrer durante 30 anos, já desapareceram".
O Dr. Alain Caillas declara:
"Eu e minha família tomamos geléia real na dose de um miligra¬ma e meio por dia. Experimentamos logo uma sensação de bem-estar geral com aumento de capacidade de trabalho intelectual. O apetite também aumentou".

http://voreniti.blogspot.com.br/search/label/infecc%C3%B5es
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).