sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Bronquite crónica


Sofre de bronquite crónica o doente que apresenta uma tosse com expectoração durante um mínimo de 3 meses por ano e, pelo menos, em dois anos consecutivos.
Por vezes designada “tosse do fumador inveterado”, a bronquite crónica caracteriza-se por sintomas persistentes de bronquite. Ela provoca igualmente um estrangulamento progressivo da circunferência dos brônquios, o que torna a passagem do ar cada vez mais difícil.

Quais são os sintomas?

-   A princípio: tosse funda com secreções por vezes transparentes ou esbranquiçadas, que se agrava em posição deitada e se manifesta com maior intensidade de manhã, ao acordar.
-   À medida que a doença progride: tosse não só de manhã mas também durante todo o dia, acompanhada de um aumento da produção de muco.
-   Quando a doença se agrava (DPOC): insuficiência respiratória crónica, que pode originar perda de fôlego ao menor esforço, nos casos mais graves (e 15% dos casos).

Quais são as causas físicas?

-   O tabagismo está na origem de 85 a 90% dos casos de bronquite crónica. A exposição passiva ao tabagismo comporta igualmente um risco.
-   Há ainda os factores ambientais: exposição a substâncias irritantes, em casa ou no local de trabalho. De referir que os casos de bronquite crónica são mais frequentes em meio urbano, sendo que os períodos de poluição elevada correspondem a uma fase de intensificação dos sintomas.

Quais são os factores psicológicos?
Segundo Louise Hay, a bronquite é o reflexo de um meio familiar muito agitado, manifestando-se através de grandes discussões e gritos, mas também em clima de “guerra fria” silenciosa.

Como curar-se mais depressa


À parte o facto de se deixar de fumar, não existe nenhum tratamento que permita retardar a progressão da bronquite crónica.
O médico assistente poderá, no entanto, melhorar o bem-estar do doente, procedendo do seguinte modo:

-  estabilizar a doença;
-  tratar os episódios agudos;
-  impedir a degradação da função respiratória.
Para os episódios agudos é possível recorrer a medicamentos que reduzam a tosse, as secreções e a falta de ar.
Resta dizer que, num primeiro tempo, cabe ao doente a responsabilidade de renunciar ao tabaco, se for o caso. Se é grande dependente da nicotina, o seu médico poderá receitar-lhe selos de nicotina, para facilitar a tarefa. Ver também os conselhos que fornecemos no capítulo 17.

Os melhores expedientes dos médicos

Como a prevenção faz parte integrante do tratamento da bronquite crónica, deve também eliminar, o mais possível, os outros factores de risco:
-  exposição ao fumo;
-  temperaturas frias e húmidas;
-  ambiente insalubre;
-  exposição a forte poluição atmosférica (mais grave quando o nível de poluição é muito elevado).
-  exposição a produtos irritantes para os pulmões, tanto no local de trabalho como em casa.

As melhores plantas

—► Hera comum (Hedera helix)
A Comissão E aprova a utilização desta planta para desobstruir as vias respiratórias e para tratar os sintomas de inflamação crónica dos brônquios.
De resto, devemos assinalar que, num estudo recente, foi estudado o efeito de um extracto de hera comum – o Prospan® – em 1350 indivíduos do sexo feminino e masculino, com idades superiores a 4 anos. Tanto nas crianças como nos adultos, este produto revelou ser muito eficaz no alívio dos sintomas de bronquite crónica.
Utilização:
-  Tome 300 mg de folhas secas por dia.
-  Quanto ao Prospan®, consulte as indicações de fabrico no site acima mencionado.
—► Fórmulas da farmacopeia chinesa
Na medicina tradicional chinesa existem diversas preparações que permitem combater a tosse e os problemas respiratórios associados à bronquite crónica. Não hesite, por isso, em se informar junto de um especialista de medicina chinesa.

O melhor suplemento

Experimente a N-acetilcysteina. que é uma forma alterada da cisteína (um aminoácido). Utilizado durante, pelo menos, 3 a 6 meses, este suplemento permitirá prevenir as manifestações agudas da bronquite crónica. E como este produto é bem tolerado a longo prazo, revela-se particularmente útil em caso de crises repetidas, prolongadas ou graves.
Utilização:
Para prevenir as exacerbações agudas ligadas à bronquite crónica, foram utilizadas, com sucesso, as doses seguintes:
-  200 mg, 2 a 3 vezes por dia;
-  300 mg de um suplemento de libertação lenta. 3 vezes por dia;
-  600 mg de libertação controlada, 2 vezes por dia.
Também para este remédio é sempre preferível pedir a opinião de um profissional competente.

Outras boas alternativas

—► Acupunctura
Se não tem medo das agulhas, aí está uma boa opção. Efectivamente, certos dados tendem a provar que a acupunctura será útil em caso de bronquite crónica. Pode permitir reduzir o uso de produtos farmacológicos e, assim, apresentar menos riscos que um tratamento medicamentoso prolongado.
—► Alimentação
Controle o consumo de leite! Por um lado, a caseína, uma proteína do leite, pode irritar o sistema imunitário. Por outro, esta proteína está, muitas vezes, associada a diversas doenças, entre as quais a bronquite crónica e a asma. (De lembrar que, no que diz respeito ao cálcio, existem muitas outras fontes para além dos lacticínios. Para mais informações, veja Osteoporose.)
—► Homeopatía
Quer sofra de bronquite crónica ou de bronquite de repetição, pode sempre beneficiar desta abordagem. Mas deve consultar um homeopata.
—►Ioga
Os benefícios das técnicas respiratórias e das posições do ioga são conhecidos desde a Antiguidade, sendo aliás confirmados pela investigação moderna! Num estudo preliminar realizado na índia, foi possível observar uma redução da afecção respiratória e uma melhoria dos parâmetros pulmonares em 15 doentes que praticaram a prânayama (técnica respiratória), bem como 8 asanas (posturas), durante um período de quatro semanas. O ioga poderia, assim, representar uma técnica complementar eficaz para tratamento da bronquite crónica.
Se desejar pôr em prática esta abordagem, pode consultar um livro sobre o ioga, embora, a princípio, seja preferível seguir um curso com um instrutor qualificado.

As melhores soluções psicológicas

—► Primeira medida importante:
Procure descobrir em que medida o seu meio familiar ou o seu ambiente de trabalho o “aborrecem”. Tente ver como poderá “respirar livremente”. Não se deixe obcecar pela sensação ameaçadora de “estar a sufocar”. Concentre-se mais no amor, na camaradagem, na entre-ajuda que subsistem, ainda que ténues, no ambiente que o rodeia, por mais sufocante que possa parecer.
—► Em estado de auto-hipnose (ver o capítulo 32), repita a afirmação seguinte:
Declaro a paz e a harmonia em mim e à minha volta. Tudo está bem.

Como prevenir o agravamento da bronquite crónica?

Se não forem tratados, os sintomas da forma crónica podem agravar-se com o tempo, a ponto de se tornarem irreversíveis. De facto, em cerca de 15% dos casos, a bronquite crónica acaba por evoluir para uma doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) que combina a tosse com a obstrução das vias respiratórias.
Esta doença irreversível manifesta-se raramente antes dos 55 anos de idade. No entanto, felizmente, nos casos associados à asma, a obstrução é reversível.

Faça ao menos isto:

-  Empreenda uma melhor higiene de vida.
-  Experimente a N-acetilcisteína.
-  Pratique ioga.
-  Trabalhe a dimensão psicológica associada ao seu problema.

De Glossário das Doenças, do Livro O FACTOR X – Como curar-se mais depressa, de ROBERT DEHIN & JOCELYNE AUBRY, Publicações Prevenção de Saúde.
http://solucaoperfeita.com/magnesio/page/2
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).