domingo, 7 de setembro de 2014

Contracepção natural (métodos naturais para evitar a gravidez)

Os métodos naturais para evitar a gravidez baseiam-se no funcionamento do aparelho reprodutor da mulher e do aparelho reprodutor do homem; portanto, não é usado nenhum mecanismo de proteção externo ao corpo. Por exemplo, no caso da mulher têm-se em conta os dias férteis durante os quais ocorre a ovulação e há um maior risco de engravidar. No caso do homem tem-se em conta o controle da ejaculação.
Estes métodos têm a seu favor: não provocam no organismo os efeitos secundários associados aos métodos artificiais de controle da gravidez.
Estes métodos têm contra si: não são 100% fiáveis, pois baseiam-se em padrões menstruais regulares sem ter em conta fatores externos ou internos que podem alterá-los. Além disso, nenhum deles oferece proteção contra as doenças sexualmente transmissíveis.
Abstinência. A abstinência não pode faltar numa lista de métodos anticoncepcionais naturais. É técnicamente impossível que a gravidez ocorra sem se ter relações sexuais. Os jogos sexuais que não implicam o contacto entre órgãos genitais são considerados seguros.
Método lactacional. Este é um método muito eficaz, mas que implica que a mulher tenha acabado de ter um bebé. Durante os primeiros seis meses após o parto, nas mulheres que estão a amamentar, a sucção do bebé inibe a produção de hormonas para a ovulação. Em consequência, não se pode conceber outro bebé. Este método tem 98% de eficácia, caso se cumpram todas as condições: que à mãe não lhe tenha voltado a menstruação, que esteja a amamentar plenamente e que o bebé tenha menos de seis meses.
Interrupção do coito. Também conhecido como "marcha atrás", este método anticoncepcional natural consiste na retirada do pénis da vagina antes da ejaculação. É uma das práticas anticonceptivas mais antigas. Porém, de todos os métodos anticoncepcionais naturais que existem para evitar a gravidez, este é talvez o que apresenta a menor eficácia: em cada 100 casos em que é utilizado ocorrem entre 16 e 22 gravidezes. A sua eficácia só está garantida pelo seu uso correto. A gravidez produz-se durante a relação sexual, mas nem só a ejaculação profunda na vagina a gera. Antes da ejaculação final podem passar desapercebidas várias ejaculações mais pequenas que se iniciam até mesmo antes da penetração, durante o jogo sexual. Estas secreções contêm espermatozóides em quantidade suficiente para fecundar o óvulo.
Método de Billings. Este método baseia-se na interpretação das mudanças na quantidade e na qualidade do muco vaginal que aparece na maioria das mulheres ovulatórias. Nos dias não férteis, o muco vaginal apresenta-se escasso, turbo e amarelado. Nos dias férteis mostra-se mais elástico, transparente e em maior quantidade. Estas propriedades são as que facilitam a ascenção dos espermatozóides até à cavidade uterina. A ovulação ocorre um dia antes, durante ou no dia a seguir à secreção mais abundante. Quando se nota maior secreção e transparência, o casal deve abster-se de ter relações sexuais. Ter relações sexuais volta a ser seguro quatro dias depois do muco transparente, quando este retoma a sua viscosidade e espessura.
Método do ritmo (ou de Ogino). Este método foi proposto por Ogino no inicio dos anos 30 e constitui o primeiro método de planificação familiar. Consiste em levar a cabo, pelo menos durante seis meses, um registo das datas em que se inicia a menstruação, com a finalidade de conhecer em que dias tem lugar a ovulação. Como a ovulação se produz entre 12 e 15 dias antes da menstruação, considera-se que os dias férteis das mulheres com ciclos regulares de 28 dias são os compreendidos entre o 9º e o 18º dias, contando desde o primeiro dia da menstruação.
No caso das mulheres cujo ciclo dura entre 25 e 35 dias, os dias férteis encontram-se entre o 7º e o 21º dias a partir do dia em que teve inicio a menstruação.
Lembre-se também que o óvulo tem uma vida de cerca de 24 horas, período durante o qual pode ser fecundado por um espermatozóide. E que os espermatozóides podem sobreviver no aparelho reprodutor feminino pelo menos até 72 horas.
Cálculo de Ogino
Segundo Ogino, ao ciclo mais curto subtraem-se 19 e ao ciclo mais longo subtraem-se 11 e isto dá-nos os períodos de fertilidade e infertilidade natural.
Ex: Ciclo mais curto = 28 dias e Ciclo mais longo = 36 dias
         28 - 19 = 9                          36 - 11 = 25
O primeiro dia fértil seria neste caso o 9º e o último dia fértil seria o 25º.
Método da temperatura. Para aplicar este método, a mulher deverá medir a sua temperatura corporal basal (temperatura ao acordar de manhã e antes de fazer qualquer esforço) diariamente. A temperatura corporal basal é ligeiramente mias baixa antes da ovulação e sobe umas décimas após a ovulação. E, sim, com este método só saberá que ovulou depois de já ter ovulado. Por isso, seja disciplinada e anote toda a informação durante uns meses. Após uns meses de anotações rigorosas ficará a saber quais são os dias do mês em que tende a ovular. E, tendo em conta a vida do óvulo e dos espertazóides, deverão ser evitadas as relações sexuais desde quatro dias antes da ovulação até dois dias após a mesma.
Monitor de contracepção Clearblue. Este é um método anticoncepcional natural. Carece de efeitos secundários, não requer o uso de medicamentos e é fácil de usar. O seu funcionamento baseia-se nas mudanças hormonais na urina para determinar quais os dias do ciclo menstrual que apresentam uma maior probabilidade de gravidez.
94% de fiabilidade. O monitor de contracepção Clearblue tem 94% de fiabilidade, o que significa que, de cada 100 mulheres que o utilizam durante 1 ano, 6 delas ficarão grávidas.
O monitor controla 2 hormonas naturais presentes na urina. Mediante simples análises de urina, o monitor controla as mudanças que experimentam 2 hormonas (os estrogénios e a hormona luteinizante) para lhe poder indicar quando é seguro manter relações sexuais (os dias verdes) e quando existe risco de engravidar (os dias vermelhos).
Não apresenta efeitos secundários. Sem os efeitos secundários dos anticoncepcionais hormonais nem a incomodidade própria de outros métodos.
Anticoncepcional vegetal (de salsa)
" E como anticoncepcional, bebe-se o chá de salsa durante três dias seguidos, antes da menstruação".
Biblioteca Digital de la Medicina Tradicional Mexicana
Como fazer e tomar o chá de salsa
Para ter o efeito desejado, a recomendação é consumir 3 chávenas de chá  de salsa por dia, durante os três dias que precedem a menstruação. Uma das chávenas deve ser em jejum e as outras duas consumidas ao longo do dia. Para melhorar o sabor, a dica é adicionar ao chá umas gotas de sumo de limão.
Ingredientes
5 pézinhos de salsa
1 l de água
Preparação
Coloque a água numa chaleira, acrescente a salsa e deixe ferver durante 5 minutos. Coe o líquido e o chá está pronto.
Utilização
Beba 3 chávenas deste chá por dia, como indicado atrás.
Lembre-se que o chá de salsa está contra indicado:
- em pessoas sensíveis ao apiol;
- em mulheres grávidas, já que o seu consumo excessivo pode ocasionar abortos espontâneos;
- em mulheres que estão a amamentar.
Aviso! Apesar da salsa ter um efeito anticoncepcional no organismo da mulher lembre-se que, como qualquer outro método anticoncepcional natural, este também não é um método 100% fiável.
 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).