segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Os quistos do ovário



Os quistos do ovário

Falei-lhe atrás do quisto do ovário, como uma das causas de perturbação do fluxo menstrual. Vamos ver um pouco melhor as causas de formação destes quistos.
Como já sabemos, o processo que conduz à menstruação inicia-se pela segregação de duas hormonas da hipófise: a FSH ou foliculo-estimulina e a LH ou luteína.
Assim, todos os meses, o ciclo menstrual compreende as seguintes fases:
sob o estímulo da hormona FSH, desenvolvem-se um ou vários folículos do ovário;
sob o estímulo da hormona LH, ocorre a maturação do óvulo, a sua libertação do folículo, a transformação do folículo em corpo amarelo.
Quando há uma produção irregular destas duas hormonas, ocorre um mau desenvolvimento do folículo, da ovulação e do corpo amarelo.
Como resposta fisiológica a este desequilíbrio hormonal, forma-se um quisto benigno (quisto funcional), que pode estar localizado no folículo no corpo amarelo.
O quisto folicular – desencadeia a persistência do desenvolvimento do endométrio, devido à ausência da hormona progesterona;
O quisto do corpo amarelo – desencadeia uma segregação excessiva de progesterona.
Estes quistos podem aparecer e desaparecer ou persistirem. Podem desenvolver bastante o seu tamanho e, nesse caso, requerer intervenção cirúrgica, sacrificando todo o ovário.
Estes quistos podem ser assintomáticos ou causadores, por vezes, de dor durante o período da ovulação (dismenorreia) e de metrorragias. São mais frequentes após os 30 anos de idade, quando a quantidade de folículos já começa a reduzir.

Do livro MENOPAUSA E ANDROPAUSA – Como ultrapassar sem problemas esta fase, de Paula Branco, Publicações Prevenção de Saúde
http://solucaoperfeita.com/magnesio/os-quistos-ovario
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).