sexta-feira, 24 de junho de 2016

Medicamento proibido U R G E N T E - RISCO DE MORTE


Por favor, divulguem.
O Ministério da Saúde através da Agência
Nacional de Vigilância Sanitária, suspendeu por meio da Resolução 96, a fabricação, distribuição, manipulação,
comercialização e armazenagem de medicamentos com o
principio ativo denominado FENILPROPALAMINA.

A medida foi tomada depois que a 'Food and Drug
Administration', (FDA), dos Estados Unidos, constatou
que a substância vinha provocando adversos FATAIS em
usuários americanos (hemorragia cerebral). No Brasil
a suspensão é preventiva, uma vez que não existem
casos relatados.

A FENILPROPALAMINA está presente em 22
medicamentos, especialmentenos anti-gripais. Os
medicamentos suspensos são os seguintes:

1) Bernadryl dia e noite.
2)Contac
3) Naldecon Bristol
4) Acolde
5) Rinarin Expectorante
6) Deltap
7)! Desfenil
8) HCl de fenilpropalamina
9)Naldex
10) Nasaliv
11) Decongex Plus
12) Sanagripe
13)Descon
14)Descon AP
15) Descon Expectorante
16) Dimetapp
17) Dimetapp Expectorante
18)Ceracol Plus
19) Ornatrol
20) Rhinex AP
21) Contilen
22)Resfenol, Cimegripe, Multigrip
Solicito, pois, a todos que estejam utilizando
qualquer medicamento da lista acima, que suspendam a
medicação e procurem o seu médico para maiores detalhes.

Atenciosamente,
MAURICI ARAGÃO TAVARES
Médico do Trabalho
CRM.SP.33006

*** POR FAVOR REPASSEM.**
Reações:

2 comentários:

  1. Uma mensagem difundida via e-mail tem causado confusão entre consumidores e levantado falso alarde sobre os medicamentos à base do princípio ativo Fenilpropanolamina, substância usada principalmente em antigripais. Tem circulado na internet um texto assinado por um médico de São Paulo alertando para a determinação da Anvisa de proibir a fabricação, distribuição e venda desses medicamentos.

    A Agência informa que a Fenilpropanolamina está proibida desde novembro de 2000, por meio da Resolução - RDC nº 96, de 8 de novembro de 2000. Não há motivo para alarde e preocupação uma vez que a Anvisa já tomou todas as providências necessárias e a substância não faz mais parte do mercado farmacêutico brasileiro.
    A determinação suspende, como medida de segurança sanitária, a fabricação, distribuição, comercialização dos medicamentos que contenham em sua fórmula, isolada ou associada, a substância Fenilpropanolamina e seus sais.

    ResponderExcluir
  2. FONTE : http://www.anvisa.gov.br/divulga/noticias/2004/140504_5.htm

    Na época, os fabricantes tiveram 30 dias para recolher os medicamentos que continham a substância. Os laboratórios que optaram por manter a marca comercial de seus produtos foram obrigados a modificar a fórmula e, portanto, retiraram a substância dos medicamentos em questão. A Fenilpropanolamina que foi associada a reações adversas nos Estados Unidos, como derrame cerebral, não existe mais no Brasil há 3 anos e meio.

    NOTICIA VELHA E SEM FUNDAMENTO , SOMENTE PARA ALARMAR A POPULAÇÃO ...

    VERIFIQUE NA FONTE ANTES DE PUBLICAR

    ResponderExcluir

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).