quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

GRANDES INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS – ELAS NÃO QUEREM A SUA CURA! Leia sobre a cura da AIDS e o controle das doenças auto-imunes.

         
Bem amigos, é com grande tristeza e indignação que resolvi escrever este artigo o qual tenho certeza de que irá chocar a todos vocês.
         Neste final de semana, tive a oportunidade de estar em uma reunião com palestras de cientistas médicos mundialmente renomados, os quais guardarei sigilo sobre seus nomes e vocês logo entenderão os motivos. Entretanto, como criei este espaço justamente para poder desabafar, compartilhar com todos os conhecimentos que tenho a oportunidade de adquirir e exercer assim meu compromisso com a verdade e ética na medicina, resumirei aqui em uma história no final do artigo sobre um fato ocorrido há alguns anos atrás e o farei como denúncia.
         Dentre os temas abordados no final de semana, o que teve maior impacto foi sobre a problemática dos laboratórios farmacêuticos e a relação estreita destas multinacionais com a maior e mais suja corrupção política.
         Bom, este será talvez meu artigo mais curto, tal é meu sentimento de indignação e de impotência de reação frente a diversas as diversas situações implicadas. Sempre soube como médico que vivemos uma medicina que é absolutamente comandada pelas indústrias farmacêuticas, ou seja, não evoluímos praticamente nada no entendimento da
medicina como ciência e nas doenças nos últimos anos. Simplesmente aguardamos que sejam criados novos medicamentos, novas drogas para então começar a indicar aos pacientes. O que avança então no geral é o médico ou a indústria que lança novas drogas no mercado?
         Mas o que vocês não sabem é a forma com que a coisa toda acontece por trás dos panos. A maneira com que uma indústria enriquece é primeiramente através das patentes. Vamos entender como isto funciona. A cada nova droga lançada, a primeira coisa que um laboratório precisa fazer é com que ela seja diferente de tudo que exista na natureza, pois nada que existe já na natureza pode ser patenteado. Vou lhes dar um exemplo, pílulas anticoncepcionais têm patentes porque obviamente são remédios de hormônios, não são hormônios bioidênticos; já os hormônios bioidênticos que têm exatamente a mesma estrutura química e molecular dos existentes em nosso corpo, não podem ser patenteados e por isto que vocês dificilmente encontrarão eles sendo vendidos em farmácias e produzidos por grandes indústrias, não dá dinheiro, qualquer laboratório tem direito a produzir!
         O mesmo acontece com a Vitamina C, por exemplo, que não pode ter patente e portanto qualquer laboratório tem direito a comercializar.
         Quando então um laboratório inventa uma nova fórmula, ele tem direito a ser o único a produzir e comercializar durante muitos anos e assim, no momento em que a patente se abre e outros podem também produzir, já gerou riqueza suficiente e não mais interessa aos grandes laboratórios. Até aí tudo bem, é a regra de mercado…
         É claro que existem drogas diferentes das substâncias que existem na natureza, as quais julgo serem necessárias para tratar determinadas patologias e muitas representam descobertas fundamentais para a medicina. Porém, a luta por patentes é apenas um dos problemas e talvez um dos menores. Acontece que a indústria vive também uma busca por medicações que tenham alto custo para consumidores e que sejam de uso crônico contínuo, em outras palavras, eles querem lançar e ter patente principalmente sobre drogas como as usadas em quimioterapias para cânceres, tratamento de doenças crônicas como Hepatites, Alzheimer, Parkinson, AIDS, Esclerose múltipla entre tantas outras. E aí é que acontecem coisas inimagináveis caros amigos.
         Pois será através da história que ouvi, que vocês compreenderão a profundidade do problema.
         Há anos, existem médicos mesmo no Brasil (um grupo fechado de cientistas), que têm tratado de forma não convencional estes pacientes com as doenças que citei anteriormente. Um deles iniciou um trabalho e tratou mais de 700 pacientes com HIV/AIDS paralelamente aos coquetéis, obtendo um resultado positivo e negativando o vírus nestes pacientes. Eles hoje não necessitam mais do uso de nenhum dos medicamentos que consistem o tratamento da AIDS. Volte e laia novamente, pois foi isto mesmo que escrevi, ele curou a AIDS em mais de 700 pacientes e eu tive a oportunidade de ver uma palestra deste médico, apresentando seus resultados e os casos. Mas agora vocês devem estar se perguntando, “mas como então nenhum programa de televisão noticiou, ou a medicina também não anunciou tais resultados?”
         Amigos, tendo em vista que ele utilizou uma substância que a princípio não fora criada com estes fins e considerada portanto “off label”, ou seja, indicação diferente da que a droga se propôs e foi aceita pelos órgãos responsáveis (ANVISA e CRM), então tomou uma atitude que julgou correta de ir até a ministra responsável pela ANVISA e apresentar seus resultados. Bom, ele então foi obrigado a ouvir que não tinha o direito de ter feito o tratamento da maneira com que fez,  não seria levado em consideração e havia outro grande problema: caso houvesse cessação na compra de todos os princípios ativos dos medicamentos pertencentes aos coquetéis para tratamento da AIDS, o governo também perderia o contrato de compra de diversas vacinas, pois a imensa maioria dos princípios ativos vêm da mesma indústria farmacêutica Canadense chamada “Glaxo Wellcome”. Além disto, ela indagou se ele se responsabilizaria pelas milhares de crianças que poderiam então ficar sem vacinas e desenvolver doenças devido à falta das vacinas? (e aí eu imagino só o que não deve ter “rolado” nos contratos…).
         Em outras palavras, a “Welcome” impõe a compra de tais medicamentos ao governo brasileiro!
       
  É inacreditável ter ouvido deste médico já com seus 70 anos, idôneo, honesto e extremamente simples, apesar de ser considerado atualmente um dos grandes expoentes da medicina quântica conhecido mundialmente, que foi atacado posteriormente de todas as formas, foreu ameaças anônimas e teve que literalmente “calar a boca” e ver que a mesma substância que ele havia usado, simplesmente desapareceu do mercado em pouco tempo, sendo que hoje não existem mais formas de manipulá-las.
         E olhem como são as coisas, um médico também visionário amigo deste, ao saber do ocorrido e ciente de tudo o que o laboratório seria capaz de fazer, pois este segundo já chegou a ser vice presidente de um dos maiores Laboratórios farmacêuticos do mundo, correu e comprou da única farmácia que ainda tinha a substância, todo seu estoque  imaginando que aconteceria o que ocorreu de fato: a substância sumiria do mercado. Não deu outra, desapareceu realmente e ele guardou a quantidade restante para uma possível necessidade de familiares, se tornando a única pessoa a ter a substância no Brasil provavelmente.
         Perguntei a eles “como a notícia não se espalhou, porque não foram aos meios de comunicação, como acham que aconteceu de eles conseguirem acabar com a venda da substância?” Ouvi deles que não teriam coragem de comprar esta briga frente às ameaças recebidas e que infelizmente existem muitos outros fatos como estes que ocorrem sem que nem médicos, nem a população em geral tome ciência. Política é política, não é mesmo? Já não tivemos oportunidade de ficar sabendo sobre tantos escândalos, filmes denúncias sobre os diamantes com fatos verídicos, sobre a venda de armas pelos Estados Unidos, as Guerras com interesses em petróleo e mesmo a relação mafiosa entre políticos e contraventores que roubam bilhões sem que absolutamente NADA aconteça? Pois então, na indústria farmacêutica a corrida é pelo dinheiro acima de tudo também…
         É amigos, sobre este fato então tirem suas próprias conclusões, pois parece coisa de filme, mas não é. Acredito que estejam tão aterrorizados quanto eu, não é minha intenção de deixá-los amedrontados, mas também não posso me calar sabendo doo ocorrido. E eles fizeram uma previsão nesta reunião, que vou compartilhar com vocês, sabendo que talvez um dia vocês lembrem que escrevi isto: Existe uma substância ativa que chama-se Naltrexone e tem sido usada para diferentes tipos de tratamentos. Mas o que poucos sabem é que existem centenas de trabalhos científicos demonstrando um outro uso “off label” para o tratamento e estabilização das mesmas doenças que citei anteriormente e  principalmente as doenças auto-imunes.
         O mecanismo de ação é complexo e já estudei ele todo para compreender tantos resultados positivos que ele tem demonstrado já há muitos anos e posso lhes assegurar que os estudos são incríveis. Ele é administrado em baixíssimas doses provocando ao final um aumento significativo da resposta organizada do sistema auto-imune. Não citarei aqui as referências uma a uma, mas já que tenho o maior interesse em poder ajudar, disseminar conhecimentos e abrir os olhos e mente dos médicos para que possamos ajudar corretamente a população, aconselho que entrem no site www.lowdosenaltrexone.org  e estude, se informe, pois são incontáveis artigos que estão a disposição de todos. Na realidade, como sei que infelizmente a cabeça do médico no Brasil muitas vezes é tão fechada para novos conhecimentos que simplesmente se nega a ler algo que possa ir contra aquilo que tem como regra, pois aprendeu na universidade que geralmente ensina conhecimentos de aaaaanos atrás, aconselho que vocês mesmo dêem uma olhada, pois o site contém incontáveis artigos científicos reunidos com livre acesso.
         Bom, mas já que já não há mais patente para esta substância, seu custo é baixíssimo e os estudos que comprovam a sua aplicabilidade com sucesso em tantas alterações que são atualmente tratadas com protocolos medicamentosos caríssimos e resultados pobres, a previsão é que, em breve (e aí poderá ser um tempo variável) ele também desaparecerá do mercado. E já que eu não duvido mais de nada, prefiro acreditar e ao menos deixar o alerta aqui. Desejo de coração que meus colegas médicos possam estudar sobre o assunto, ao menos para saber que existem outros médicos que podem mudar a história de doenças como Psoríase, Lupus, Esclerose Múltipla, Hepatites, AIDS, doenças estas que limitam significativamente a vida dos portadores e que podem ser ajudados pelo uso sábio desta substância.
         Espero também que todos vocês que leram possam recomendar a seus familiares e médicos. Eu não posso por questões éticas colocar doses e nem falar sobre todas as formas de uso fundamentalmente na otimização da atividade imunológica que pode ser alcançada com este tratamento barato e simples, mas em nossas clínicas não só eu, como todo médico que estudar a fundo esta questão teríamos no mínimo prazer e felicidade em poder dar uma nova perspectiva de vida para estes pacientes que tanto sofrem.
Quero novamente lembrar que esta é uma história verídica que não foi vivenciada por mim e portanto, não tenho autorização a divulgar nomes.
          “Nunca duvide que um pequeno grupo de pessoas comprometidas possa mudar o mundo. Na verdade é o melhor modo de fazê-lo.”
- Margaret Mead (médica cientista da Universidade de Harvard)
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).