segunda-feira, 11 de agosto de 2014

A IMPORTÂNCIA DO SONO! ENTENDA SOBRE OS MALES DAS MEDICAÇÕES USADAS PARA DORMIR!

O Mundo está envelhecendo!

O que era particularidade dos países europeus está começando a acontecer também em diversos outros países, inclusive no Brasil. Taxa de natalidade baixando, tecnologias, avanços da medicina, condições de vida sendo modificadas, etc… A expectativa média de vida do Brasileiro é de 75 anos, ao passo que a dos países de primeiro mundo, esta alcança já os 85 anos. Enfim, se você ainda não pensou a respeito deste assunto, saiba que já nasceu o ser humano que chegará aos 150 anos.
Sim, ultrapassaremos a barreira dos 100 anos em breve e uma das questões mais importantes é: Com que qualidade de vida chegaremos lá? É de fato uma questão muito difícil de ser respondida, uma vez que o brasileiro, por exemplo, está vivendo em média 1/5 (um quinto) de sua vida, incapacitado! Bem, se você sabe um pouco de matemática, concluirá que se chegarmos aos 100, 1/5 representará 20 anos. Então imagine viver 20 anos de sua vida sem capacidade de reconhecer seus entes queridos, usando fraldões, vivendo em cadeiras de rodas, limitado a não praticar exercícios físicos e seu esporte favorito, com alzheimer, etc… Pois é, tenho certeza de que muitos de vocês não gostariam de viver mais, porém sem qualidade de vida. Vamos pensar mais um pouco ainda e cruzar números:
–> 1/5  incapacitados –> 1/3  dormindo –> Quanto tempo sobrará para que você aproveite sua vida de forma plena? –> Qual o motivo de termos que passar tanto tempo dormindo? Imagine você que tem 60 anos, passou 20 anos de sua vida dormindo. Porque? Ah sim, aqui chegamos ao ponto de início de meu post hoje. Vou fazer você construir um raciocínio extremamente simples, mas que por diversos motivos, foi desvirtuado! Motivos estes cercado de interesses da famigerada indústria farmacêutica que cria diversas opções “absolutamente inocentes e saudáveis” para tratar o problema do distúrbio do sono. E aqui já começo questionando:Quando um problema é resolvido, não seria então esperado que a pessoa não precisasse mais ser medicada?Então você que toma medicação de uso contínuo, crônico para “tratar” alguma alteração, acha mesmo que está curado, que a base de seu problema foi resolvido? Acredito piamente que não e é extremamente simples de chegar a esta conclusão, não é mesmo?Pois bem, transfira esta linha de raciocínio ao sono. Você vai ao médico dizendo que não está conseguindo dormir. Logo sai com uma prescrição de uma droga que faz você simplesmente sedar. Pronto, ao invés de corrigir a base do problema, “o sol foi tapado com a peneira”. Você se tornará agora um dependente para o resto de sua vida, de uma droga para dormir. E quero que você saiba, ou lembre, que todas elas têm efeitos colaterais a curto ou longo prazo! * escreverei no futuro um post que aborda o perigo destas medicações e o que a ciência já comprovou; só não tem interesse nenhum que você saiba.
Bom, mas vamos entender o motivo pelo qual você pode não estar mais conseguindo dormir. Se antigamente conseguia, depois de certo período não mais conseguiu, algo deve ter acontecido em seu corpo. E é exatamente este o ponto chave de TODA E QUALQUER alteração atrelada ao processo de envelhecimento. Sempre existe um motivo e a forma de tratar, resolver e trazer todos os benefícios daquela função fisiológica para o seu metabolismo, para sua saúde, seria buscar restabelecer níveis endógenos adequados e equilibrados das substâncias necessárias para que você tenha um SONO REPARADOR!
O SONO REPARADOR é aquele sono que nos possibilita ter uma gama imensa de benefícios que são processados unicamente durante uma noite de sono bem dormida.  Passamos o dia todo comandando as ações do nosso corpo.  A gente fala, come, corre, pensa, etc… Durante o sono, é o momento chave em que o nosso corpo tem a chance de descansar e executar todas as funções fundamentais de reparar danos celulares, organizar as informações captadas durante o dia, detoxificar o que for preciso, produzir inúmeros hormônios, enfim, é quando ele pode cuidar dele mesmo sem ser orientado por nossa consciência, ou seja, não somos nós que estamos no comando, mas sim nosso próprio sistema neuronal. E o maestro desta orquestra toda que ocorre durante o sono se chama Melatonina, o hormônio do sono, também chamado de hormônio da juventude, uma vez que somente o jovem normalmente tem capacidade de produzi-lo em níveis benéficos.
O ideal é que, durante o sono, nosso corpo não precise se preocupar com nada além daquilo que ele espera fazer. Então você já sabe que se nos alimentamos muito tarde, estaremos dando um trabalho extra ao nosso corpo para digerir aquele alimento, principalmente se existirem carboidratos que exijam a secreção de insulina na corrente sanguínea. Aborrecer-se e estressar-se também a noite, faz com que o Cortisol, nosso hormônio do stress, seja secretado e portanto nosso corpo entende que estamos frente a uma situação de stress, por isso a síntese deste hormônio vira prioridade e deixamos de produzir aquelas substâncias próprias do sono.
A qualidade do sono depende de uma série de fatores, cada qual com sua importância. Vou começar então resumindo os pontos mais importantes e interessantes, para então posteriormente escrever especificamente a respeito da Melatonina, este hormônio fundamental. 
 
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

AVISO

Este site tem finalidades exclusivamente informativas.
É importante esclarecer que este site, em plena vigência do Estado Democrático de Direito, exercita-se das prerrogativas constantes dos incisos IV e IX, do artigo 5º, da Constituição Federal.
Relembrando os referidos textos constitucionais, verifica-se: “é livre a
manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato" (inciso IV) e "é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação,independentemente de censura ou licença" (inciso IX).